segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Segunda-feira 01/ 02/ 2016

São três horas da manhã e minha esposa ainda não levantou para inventar meu café. Isso é estranho. Normalmente ela acorda antes de mim e quando termino meu banho meu café já está no canto da pia.
- Amor, você esta bem? Perguntei delicadamente a ela, que se embrulhou e virou para o outro lado.
Estou com fome e ela não que levantar.
-Amor aconteceu alguma coisa? Perguntei.
Ela resmungou que precisava dormir pois iria ter de sair mais tarde.
-Mas e o meu café? Perguntei.
-Está na geladeira, fiz ontem a noite. Disse ela.
Credo, café gelado. Posso saber onde você vai? Perguntei. Ela pediu para dormir e me mandou não pertubar.
Onde será que ela vai?
Hoje meu dia vai ser daquele jeito. Meu caminho a pé para o trabalho foi confortavelmente satisfeito pelos servidores públicos que apontavam um enorme trabuco na minha cara dizendo:
-Encosta ai vagabundo, disse o honesto cidadão. Enquanto seu companheiro torcia meu braço e enfiava a mão no meu rabo.
Santificado foi meu dia após um bem feito almoço. Coxinha de carne com ovo e suco de caju.