segunda-feira, 23 de maio de 2016

BOB MARLEY: uma visão de mundo


Manifestações em defesa da emancipação do terceiro mundo. Campanhas para promover o turismo na Jamaica. Passeatas antirracismo. Os protestos pela legalização da maconha são apenas detalhe na vida do musico que cantava para o amor e o amor retribuía com Paz.

Por Myke Zirrô

É horizontal o grito de  Robert Nesta Marley filho de Cedella Nesta uma jovem de 17 anos que engravidou de Norval Marley, um branco que trabalhava para o governo. Norval casou-se com Cedella para abandona-la no dia seguinte ao casamento, antes mesmo do nascimento de Robert que assim começa sua carreira.
Sua música urbana denuncia a desigualdade entre ricos e pobres. Aos 7 anos mudou-se com a mãe para um favelão na capital Kingston. Cresceu nas ruas, jogando bola e fazendo música numa guitarra improvisada.
Se dependesse de Cedella, Robert seria um feliz operário da indústria de autopeças jamaicana, mas seu coração vibrava ao ritmo do Ska, o som que fazia ferver a ilha do Caribe.
Em 1962 fez sua primeira gravação em estúdio e logo depois já estava tocando e compondo com Bunny Livingston e Peter Tosh.
Formaram o grupo The Wailers e conseguiram algum reconhecimento tocando a música Judge Not.
É a busca de seu sonho que Robert partiu direção aos Estados Unidos e deixa para trás Rita Marley com quem acabara de se casar. Na América descobriu sua falta de vocação para indústria e percebeu que trabalho braçal para ele era tocar violão.
Quando se fala de Robert Nesta Marley, há uma associação ao uso de maconha, mas o seu repertório de liberdade é bem mais amplo. A prova disso é percebida em suas músicas. As letras são pedidos de Paz, respeito, paciência com o próximo. É incoerente chamar de luta, pois dizer que Bob travou lutas pela Paz torna o termo Paz um tanto hipócrita.
A figura de Bob Marley é destaque em protestos antirracistas, pois ilustra camisetas, botons e inúmeros outros apetrechos. Sua música foi muito influenciada pelos projetos de pesquisa sobre relações raciais organizados pela Organização das nações unidas para a educação, a ciência e a cultura (UNESCO) na década de 1960, Bob sempre esteve presente enquanto ouvinte nas palestras. A origem deste projeto estava associada à agenda antirracista formulada no final dos anos 1940 sob o impacto do racismo e da Segunda Guerra Mundial. Influenciado pelos debates Bob constrói seu próprio discurso e desconstrói nações.
A imagem de Bob Marley associada a esse tipo de manifestação é fundamental para fortalecer o conteúdo de suas músicas que falam dos fatores econômicos, sociais, políticos, culturais e psicológicos favoráveis ou desfavoráveis à existência de relações harmoniosas entre raças e grupos étnicos.
Viver e cantar o terceiro mundo, esse é o conteúdo marcante na vida e obra de Bob Marley e é comum encontrar seu rosto estampado em bandeiras pedindo a emancipação do terceiro mundo na luta de movimentos sociais espalhados pelo mundo. Gostaria de poder dizer que Bob Marley calou a boca da ignorância e covardia, mas isso foi exatamente o que ele não fez. Ele os fez cantar e dançar em nome da Paz e do Amor sem entender que era isso que estavam fazendo.
A história da Jamaica é profundamente trágica, pois seus habitantes nativos, o povo Arawake. Exterminado pelos europeus. Toda expedição colonizadora que chegava a ilha dizimava uma parte da população, Ingleses, franceses e espanhóis.
Os colonizadores espanhóis dedicaram pouca atenção a ilha pois essa não produzia ouro, o que fez a ilha virar posto de abastecimento e com o extermínio da população nativa, começou a entrada de escravos negros sequestrados da África para servirem de mão de obra.
Bob Marley deu um outro som a Jamaica e principalmente ao seu povo, depois de Bob os nativos passaram a ter orgulho de sua cultura. O turismo ganhou um novo significado e o povo jamaicano um mito para todo o sempre.



Referência bibliográfica

A questão racial na década de 50.

História da Jamaica. https://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_da_Jamaica. Acesso em: 30/ 04/ 2016

Terceiro Mundo. https://pt.wikipedia.org/wiki/Terceiro_Mundo. Acesso em: 30/ 04/ 2016

GWERCMAN, Sérgio. O Rei Leão Bob Marley. Aventuras na História para viajar. São Paulo (SP), ed. 5, p. 20- 27. Jan/ 2004