sexta-feira, 1 de julho de 2016

LITERATURA NA ESCOLA: A criança autora e a criança leitora

A escola Leonor Nogueira no bairro da Marambaia foi o espaço onde mais consegui concentrar meus estudos sobre prática artística. Grande parte das conclusões que tenho hoje, posso afirmar, foi na escola Leonor Nogueira onde consegui desenvolver bons resultados de experimentos. Escola onde tenho mais que alunos, tenho amigos que até hoje entram em contato. O zine abaixo é fruto do III Festival Literário: Literatura e arte nas obras brasileiras, promovido pela escola como incentivo a leitura e a escrita. O livro foi vendido dentro da escola pelos alunos autores. Cada aluno teve direito a dez copias do livro que foi vendido a R$ 1,00. O dinheiro arrecadado pertencia aos escritores. Segue abaixo o Link onde pode encontrar o livro completo:



Poesia, pra nenhuma poesia tem como objetivo apresentar uma produção literária marginal. Textos e contextos particulares sem as represálias da gramática escolar. Apresenta a criança a leitura e escrita de seus pensamentos de modo lúdico, contraria a cultura dominante e o processo de aculturamento, significando suas aventuras infantis como parte de sua aprendizagem, na tentativa de aproxima-la do habito da leitura e da escrita. Apresenta poeta e obra como geradores de renda possível e que merece respeito e admiração.
Foram utilizados nos diálogos e produções das obras os estilos Dadaísmo e Concretismo que tiveram sua divulgação na semana de Arte Moderna de 1922.
São parte integrante dessa obra dezesseis poemas de dez alunos da Escola Leonor Nogueira dos turnos da manhã e da tarde.
Há necessidade de uma analise sociodemográfica dos textos e a observância do autor como ser consciente de aventuras e desventuras que fazem de sua vida, poesia pra nenhuma poesia.